Uma Pedra

21 de junho de 2010

Dificuldade sempre existirá para aqueles que não desistem. A primeira pedra na verdade é apenas uma pedra, e se formos contá-las é melhor deixar os dedos em alerta e a mente fresca para não perder a conta. Para os que já dão o primeiro passo pensando que uma dessas pedras não existe e que basta um pulinho despretensioso, como aqueles que nós damos quando jogamos amarelinha, e “voilà” tudo se resolve num passe de mágica é quase esperar que um milagre aconteça, fantasiosamente.
Sonhos a parte, e aqui gostaria de enriquecer o leitor de otimismo, não podemos carregar todas as pedras passadas e de fato nem devemos pensar que é possível. O caminho é que deve se tornar um mapa cheio de atalhos. Pra que tudo isso? Para dizer que aprender a lidar com problemas e dificuldades do nosso cotidiano só nos traz benefícios. Para dizer que criar o seu próprio caminho significa conhecer seus atalhos e aprender a ser leve.
Há duas maneiras de passar por uma pedra. A primeira, particularmente a que eu sou mais adepto, é tirando ela do caminho para que no futuro não haja riscos de você ser atropelado pela mesma pedra por descuido. A segunda maneira, e geralmente mais aceita pelos malandros, é dar um jeitinho de desviar. O que eles não sabem é que quando se desvia se perde o caminho original e consequentemente o seu destino. Vontade legítima e ousadia trazem a tona o sucesso dos que conseguem chamar olhares para além das pedras.

"Com freqüência encontramos obstáculos e fardos no caminho. Podemos reclamar em alto e bom som enquanto nos desviamos deles se assim preferirmos, ou podemos erguê-los e descobrir o que eles significam. A decepção é normalmente o preço da preguiça e da falta de vontade legítima."

O Lapso

3 Reações:

Ricardo Monteiro da rocha Franco Filho disse...

Como você imaginava, eu gostaei. Parabéns.

Mary disse...

Mas uma vez adorei;
as vezes devemos passar por cima de algumas coisas, não por medo, preguiça ou insegurança, mas por serem pequenas demais para ter alguma relevância.

O Lapso disse...

O que tem relevância para uma pessoa, pode ser insignificante para outra. Resta tentar ser razoável! ;)