Em branco

17 de setembro de 2009

Já coloquei todos os curativos possíveis e conhecidos. Ainda sangra, seria no mínimo estranho se assim não fosse. A tempestade passou e a raiva foi embora com ela. A calma fora de mim (paz) não se confunde com o que se passa dentro (indiferença forçada), sim, há uma diferença visível. As perguntas são inevitáveis. As respostas já não me interessam mais (se verdades ou se mentiras) ou pelo menos tento não me responder já que não tenho as respostas. Os sentimentos? Guardei com carinho, porque são inesquecíveis e serão para sempre lembrados. Sou humano e sei que os outros também são. Isso me faz ser perdão, porque minha essência não muda, porque sou um só com apenas uma mascara, mas posso me adaptar a varias situações se assim por mim é querido. Isso me faz ser fraco e forte. Faltou amor da outra parte. Sobrou conflito da minha.

Agora é a minha vez de me acomodar e de não mexer mais nisso.
Enfim... a vida também é dura. Dura vida. Dura.

“Porque quando eu jurei meu amor eu trai a mim mesmo
Hoje eu sei, que ninguém nesse mundo é feliz tendo amado uma vez (uma vez)” Raul

Apenso: Não voltei a escrever. Essa é a parte 2, do ultimo texto, que não deveria ser dita.

"Chega de Saudade

Tem dias que eu fico pensando na vida
E sinceramente não vejo saída.
Como é, por exemplo, que dá pra entender:
A gente mal nasce, começa a morrer.

Depois da chegada vem sempre a partida,
Porque não há nada sem separação.
Sei lá, sei lá, a vida é uma grande ilusão.
Sei lá, sei lá, só sei que ela está com a razão.

A gente nem sabe que males se apronta.
Fazendo de conta, fingindo esquecer
Que nada renasce antes que se acabe,
E o sol que desponta tem que anoitecer.

De nada adianta ficar-se de fora.
A hora do sim é o descuido do não.
Sei lá, sei lá, só sei que é preciso paixão.
Sei lá, sei lá, a vida tem sempre razão." Vinicius

5 Reações:

Ioh. disse...

Citar Vinicius é sempre uma grande covardia comigo! O poeta, "o poetinha vagabundo".

Pessoas como nós não sabem viver sem amor, sem paixão... nós não descemos a escada da piscinha, mergulhamos de cabeça, amigo!

Se a gente está errado? Talvez. Mas eu gosto de ser assim... é a intensidade que me faz ter tato comigo mesma, que desperta meus arrepios e que impulsiona minha vida.

Enfim, Buh, "sei lá, sei lá, só sei que é preciso paixão"!

Rafa ... disse...

Adorei as letras em branco ficou criativo. Continue escrevendo,vc escreve tão bem =/

O Lapso disse...

Obrigado Rafa!

Por enquanto continuo a não escrever.

Preciso limpar meus pensamento primeiro.

Ioh. disse...

Saudade de vocÊ escrevendo...
=*

O Lapso disse...

Quem sabe depois de um absinto eu tomo coragem.