Mais Corda

10 de janeiro de 2010

Alguém deu corda e o brinquedo saiu andando, cambaleando, para frente. Era um brinquedo pequeno, de uma simplicidade única e natural. Surrado de tanto (mau) uso pelo seu possuidor, e mesmo depois de tanto desgaste, ainda mantinha sua graça. Não tinha controle sob seus atos, e a direção que tomava dependia dos caminhos que lhe foram apresentados. Faltava a capacidade de construir, tinha problemas e defeitos como qualquer outro brinquedo, mas um dia foi presente embrulhado no papel grosso e sem cor, sem cartão de apresentação ou qualquer outra palavra inteligível. Pode proporcionar, ao menos, um momento agradável para alguém.
O barulho que ganhara com o tempo, ora inaudível a certos ouvidos, provinha da sua capacidade de sentir. Era um brinquedo, e suas engrenagens enferrujadas se encaixavam perfeitamente, permitindo a percepção de todo um conjunto mal avaliado. Seu valor, entretanto, era imensurável.
Adaptava-se a qualquer situação, assim procurava a felicidade até nas dobras da vida, e acreditava que a corda que o impulsionava não teria fim. Conseguia sorrir até depois de tombar. Um sorriso tímido, verdadeiro, que lhe enchia de esperança. Um brinquedo que incrivelmente não era brinquedo. Parecia a própria vida, mas com ela não se pode brincar, ainda que existam aqueles que são ousados e deixam a vida passar, deixam a pureza fugir e (....) secar. Pura ilusão. A loucura tem o seu limite. Era brinquedo independente por um momento, ilimitado.
Depois de dar corda, não importava a sua vontade. A sequência de acontecimentos era o que chamava de "seguir" e a força que lhe era necessária, era dada, também, sem a sua vontade e às vezes sem o seu conhecimento, enquanto a corda diminuía de tamanho. Repentinamente parou de andar.
Só precisava de mais um pouco de corda. Precisava da sua vida.

O Lapso

2 Reações:

Ioh. disse...

"Existirmos: a que será que se destina?" - Caê.

Sei que você não gosta de citações, mas eu gosto. E sou chata! :P

;*

O Lapso disse...

Chata!